Você ousa imaginar ou só aprende?


"A IMAGINAÇÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O CONHECIMENTO."

Você certamente já viu essa frase, atribuída a Albert Einstein, certo? Gosto muito dela; mas o contexto em que foi dita também é muito interessante e traz outras palavras que fazem pensar. Einstein a proferiu pela primeira vez durante uma entrevista à publicação americana "The Saturday Evening Post", em 1929. Quando o correspondente da revista perguntou-lhe sobre seu processo de pensamento, o genial físico teórico alemão, que então era uma celebridade na Europa e América, não discorreu sobre cálculos e raciocínio lógico. Em vez disso, veja o que ele falou:

"Eu acredito em intuições e inspirações. Às vezes eu sinto que estou certo. Eu não sei que estou. Quando duas expedições de cientistas, financiadas pela Academia Real, vieram para testar minha teoria da relatividade, eu estava convencido de que suas conclusões concordariam com minha hipótese. Eu não fiquei surpreso quando o eclipse de 29 de maio de 1919 confirmou minhas intuições. Teria ficado surpreso se eu estivesse errado."

Deixe-me fazer aqui uma breve pausa para salientar o que me chamou a atenção, nessas palavras: a importância que Einstein - reconhecidamente um dos maiores gênios da humanidade - atribuía à sua INTUIÇÃO e INSPIRAÇÃO. Às vezes, ele não sabia que estava certo; apenas sentia que estava. E isso parecia ser o bastante para que tivesse uma tremenda confiança em si, a ponto de dizer que ficaria surpreso se estivesse errado e não correto, quando à teoria da relatividade. Apesar de todo seu conhecimento, é interessante observar que esses dois aspectos, por vezes negligenciados, eram-lhe tão valiosos.

Mas voltemos à famosa frase. Diante dessa declaração, seu entrevistador perguntou:

"Então, o senhor confia mais em sua imaginação que em seu conhecimento?" Aí, veio a resposta incrível:

"Sou artista o bastante para desenhar livremente sobre minha imaginação. A imaginação é mais importante que o conhecimento. O conhecimento é limitado. A imaginação envolve o mundo."

Uaaau!

E você, confia em sua intuição, de vez em quando? Usa sua imaginação de forma deliberada, consciente? Isto é, tira momentos para pura e simplesmente imaginar coisas? Criar o que ainda não existe?

É claro que não foi somente a imaginação de Einstein que lhe permitiu tecer teorias que foram fundamentais para o estabelecimento da física quântica, valeram-lhe o Nobel de Física em 1921 e o tornaram mundialmente famoso. Seus estudos e conhecimento adquirido deram-lhe a base para elaborá-las. Porém, como ele próprio afirmava, a imaginação é que lhe possibilitou vislumbrar o que até então, ninguém via.

Sou um defensor ferrenho da necessidade de buscar conhecimento, de ampliar continuamente o repertório que temos, possibilitando novas conexões neurais, e da importância de exercitar e "expandir" o cérebro, como se faz com os músculos do corpo. Mas também acho fundamental levar em conta o que Einstein disse, como lhe mostrei neste artigo.

Seu conhecimento diz respeito ao que você já sabe e, portanto, é limitado. Mas, em sua mente, tudo é possível: sua imaginação permite acessar o que ainda é potencial, sem limites ou fronteiras. Isso pode ser crucial para moldar sua realidade futura.

Portanto, aprenda, sempre que puder; mas estimule sua imaginação. Não seja apenas um receptor de informações; questione, compare, transforme-as em conhecimento. Porém, não pare por aí. OUSE IMAGINAR MAIS.

Afinal, um cara muito, mas MUITO mais sábio do que eu ou você, disse que a imaginação é mais importante que o conhecimento.


© 2019    Douglas Peternela. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade.  Termos de Uso.

  • White Facebook Icon
  • instagram_edited
  • YouTube - White Circle